16 de mai de 2010

Nós somos como todas as outras

Ser. Estar. Ficar. Transar. Amar. Escolher. Se perder. Encontrar. Chorar. Rir. Xingar. Entender. Confundir.

Desistir... no fundo, no fundo, nunca desistimos. Somos mulheres de todos os verbos citados, mas acreditando, sempre.

Acreditamos sim, em alma gêmea. Não acreditamos em casamento do jeito que nos ensinaram, mas acreditamos no amor. Ficamos tristes quando levamos um chute, achamos que levamos ou damos o próprio, embora tentando disfarçar. Adoramos a liberdade mas sentimos aquela pontinha de tristeza por estarmos sem um companheiro.

E principalmente... falamos, falamos, e falamos o tempo todo. Essa é a nossa principal forma de demonstrar e de pedir carinho: falando! É quando mostramos nossos medos, mesmo quando tentamos encobrí-lo. Quando amigas se conhecem o suficiente para entender que os medos podem se esconder atrás de palavras supostamente corajosas... falamos, muito, talvez para perder esses medos. Encontrar a coragem no excesso de palavras...