27 de set de 2011

Solteira, sim. De segunda classe, não!

Há tempos não escrevo por falta de tempo, vergonha na cara, mas divido com vocês um assunto que há tempos me incomoda, especialmente depois que passei dos 30. Vamos lá.

Hoje, pela enésima vez, escutei algo do tipo "ah, mas você não tem família, sabe como é". Sabe como é. Quem tem família é que sofre na vida. Quem tem família é que precisa de estabilidade financeira. Quem tem família merece prioridade em várias situações da vida e bla-bla-bla.

Esse discurso burguês e conservador me irrita profundamente. Como se o solteiro ou solteira fosse um eterno despreocupado, sem as mesmas necessidade vitais de quem tem uma família. Como se o nosso mundo fosse mais fácil.

Ora, não o é. Guardadas as devidas propoções. Ser solteiro muitas vezes significa que você não tem ninguém a quem recorrer caso a coisa aperte financeiramente. Porque nem sempre os amigos estão disponíveis como alguém da família - não por má vontade, mas porque cada um tem a sua vida, e numa família existe a moral e os bons costumes - e o amor claro - de que os membros de uma família precisam se ajudar.

Existe uma outra coisa importante a comentar. Muitas famílias da minha faixa de condição financeira reclamam que é preciso pagar escola pros filhos, natação pros filhos, e n coisas pros filhos. Ora, nada contra, mas NÃO JOGUEM NA MINHA CARA QUE VOCÊS TÊM MAIS CONTAS A PAGAR. Qualquer família pode se organizar para conseguir escola pública ou mais em conta, permitir que os filhos andem de ônibus (ninguém vai morrer por causa disso) e outros confortos da vida moderna podem ser pesados na hora de se educar os filhos. Sim, os gastos e a responsabilidade aumentam pra caramba... e nesse ponto eu tenho que concordar, famílias têm essa dificuldade a enfrentar.

É claro, cada um tem a liberdade e a possibilidade de fazer o que quiser e dar o que há de melhor por seu filho. Mas a vida é feita de escolhas, e é sempre phoda (isso mesmo, com PH para dar mais ênfase) um pai de família burguês jogar isso na cara de um solteiro. E é claro, não podemos falar nada, porque afinal, somos solteiros, nossa vida é sempre mais fácil, não sabemos nada do que é ter uma família...

Aí está a hipocrisia da sociedade moderna que ainda NÃO ENTENDEU que o mundo mudou e que precisamos aceitar solteiros, homossexuais e outros seres aparentemente diferentes, como parte dessa sociedade.

E abaixo o discurso "você é solteira, sabe como é".

E tenho dito!